sexta-feira, outubro 07, 2005

Valor Econômico, 6 de outubro de 2005

Jovens escritores lançam suas próprias editoras

Tainã Bispo
De São Paulo

Eles são jovens escritores e muitos não conseguiram publicar seus livros por editoras tradicionais. Resolveram, então, "driblar os intermediários", assumir os riscos e criar suas próprias editoras , mesmo sendo micro - editoras . Grupos, espalhados por São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba e Salvador, estão lançando títulos pelos selos FinaFlor, K Edições, Kafka edições baratas, Casa Verde. "Resolvemos nos antecipar às poucas chances que o mercado editorial oferece a novos autores", diz Wladimir Cazé, da K Edições.

A brincadeira que começou na faculdade está rendendo frutos para a jornalista Cristiane Lisbôa e sua irmã, Fernanda Tavares. A FinaFlor está completando um ano este mês. Neste período, sete títulos já foram lançados e outros três estão a caminho. O primeiro foi "Deles e quase resto", livro de contos da própria Cristiane.

As irmãs criaram, porém, uma estratégia diferente, tanto das editoras tradicionais, quanto das companheiras Edições K e Kafka. Os títulos são lançados com uma tiragem de apenas 80 exemplares (a tiragem inicial de uma editora tradicional é de dois a três mil exemplares) e não são reimpressos. Além disso, esses livros são vendidos apenas no dia do lançamento, geralmente em bares e eventos. Os exemplares que sobram são vendidos no site.

"Essa foi a maneira de tornar os livros objetos de desejo", diz Cristiane. Para que esse desejo aflore, além da pequena tiragem, os livros da FinaFlor são feitos artesanalmente. "A defunta", do escritor e artista plástico Miranda, foi impresso em um gráfica e era protegido por uma lâmina de madeira, que reproduzia um caixão. Outro exemplo é o livro do escritor Xico Sá, "Se um cão vadio aos pés de uma mulher-abismo", cuja embalagem era uma meia de seda. A tiragem era de 80 exemplares, todos foram vendidos.

"Todos os livros são manuseados, de alguma forma, pelo escritor, já que eles enumeram e assinam os exemplares. Essa é a nossa proposta", diz a editora. Para continuar com essa "peculiaridade", Cristiane não pretende aumentar a tiragem dos títulos. As irmãs já recusaram propostas de compra e foram sondadas até por editoras tradicionais. "Estamos satisfeitas como resultado do nosso trabalho e já temos novos projetos", diz Cristiane.

A Edições K tem uma proposta diferente. Quatro jovens escritores uniram-se em 2004 e criaram a editora para publicar seus próprios livros. Hoje, o grupo tem oito pessoas e já lançou 15 títulos, sendo que cada um com tiragem inicial de 300 exemplares e possibilidade de reimpressão.
Wladimir Cazé explica que a editora funciona como uma cooperativa: há escritores de diversos locais do país e cada um se encarrega de divulgar a produção da editora em sua cidade. Nesse momento, há colaboradores em Brasília, Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, entre outros. Os livros têm formato de bolso e custam R$ 5 para impressão e são vendidos a R$ 15 a unidade. "Nós mesmos bancamos os custos de impressão e somos responsáveis pela divulgação e vendas", explica Cazé.

Outra iniciativa é a Kafka Edições Baratas, criada por jovens escritores para "movimentar a cena cultural de Curitiba", lembra Paulo Sandrini. Os livros, de 24 páginas, são vendidos por R$ 5 reais. Porém, não são livros completos, mas fragmentos de um título. Sandrini explica que a editora faz livros de demonstração, os chamados `livros-demo', para divulgar a produção dos escritores e chamar a atenção das editoras tradicionais para os autores da Kafka.

Mas a maioria desses editores-escritores tem dificuldade em divulgar e vender os livros. A editora é considerada um "hobby" para alguns, já que eles não conseguem viver exclusivamente desse negócio. A maioria tem emprego fora dessa área. Muito pequenas no mercado, essas editoras conseguem visibilidade em locais alternativos. Porém, estão movimentando uma nova geração de escritores e novas idéias para o setor.

2 Klamores:

Anonymous Anônimo komentou...

Ogilvy Says Don't Read Adrants
Ogilvy PR has a page on their site called BlogFeeds where they list, by category, blogs they feel are important reading for the agency and for their clients.
Find out how to buy and sell anything, like things related to music on interest free credit and pay back whenever you want! Exchange FREE ads on any topic, like music!

7:02 PM  
Blogger Jana komentou...

Poxa, muito bacana o trabalho destas novas editoras.
Parabéns.

8:26 PM  

Postar um comentário

<< Home